População invade necrotério para queimar o corpo de homem que degolou bebê de 11 meses

Marcos Lima Rocha, de 22 anos de idade, degolou um bebê de apenas 11 meses, enquanto ele estava dormindo, o menino era seu enteado e o crime teria sido passional.

Marcos disse que ficou com raiva e ciúmes de sua companheira, mãe do menino, ele chegou na casa e não a encontrou, acreditando que estava sendo traído, resolveu se vingar do enteado.

O caso gerou tanta revolta que, depois de ser preso, o acusado apareceu morto na cela em que estava preso, na delegacia do município.

Os investigadores ainda estão apurando se o rapaz cometeu suicídio ou se ele foi assassinado, ele foi encontrado com uma corda no pescoço, como se estivesse sendo enforcado.

As autoridades policiais não informaram se ele dividia a cela com outros detentos, ninguém da carceragem foi ouvido ainda para dar mais detalhes.

De todo modo, sua morte foi pouco para a população enfurecida, sedenta por vingança, centenas de pessoas queriam descontar no corpo já inerte de Marcos a raiva que estavam sentido por ele matar uma criança totalmente desprotegida.

Muitas pessoas foram até a porta do necrotério, para onde o cadáver foi levado, vários populares chegaram a agredir o homem, mesmo depois de morto.

Clamando por uma punição maior, um grupo que estava no local ainda invadir o imóvel para queimar o corpo do criminoso.

Algumas pessoas também já ameaçaram invadir o velório onde a criança estava sendo velada para matar a mãe, culpando-a por deixar o companheiro violento conviver com o bebê.

A jovem, de apenas 21 anos de idade, foi identificada como Maiana, de 21 anos.

Policiais chegaram a gravar o rapaz confessando que matou o bebê, eles perguntaram como ele fez isso e ele deu detalhes, “eu fui lá e ela não estava, eu fiquei com raiva dela e resolvi descontar na criança”, contou.

Veja Também  Adolescente foi assassinado por ter matado membro do PCC, diz polícia

“Como você fez?”, perguntou o policial; “eu degolei”, respondeu, “e a acriança estava dormindo na hora?”, questionou mais uma vez o agente; “tava”, consentiu Marcos.

O vídeo acabou vazando nas redes sociais e na imprensa, contribuindo para elevar o grau de revolta na população da pequena cidade amazonense.

Vídeo da confissão do crime :  Click aqui

Vídeo do assassino morto ; Click aqui

Comentar

Mauricio Dias

Nada "além" do compromisso com a informação | Jornalismo independente

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios