Jô admite ter feito gol com a mão, mas afirma: “Eu não quis trapacear”

0
117

O atacante Jô voltou a se manifestar na manhã desta terça-feira sobre o gol marcado por ele com o braço na vitória do Corinthians sobre o Vasco por 1 a 0, no domingo.

Na chegada a Buenos Aires, na Argentina, onde o Timão enfrenta o Racing, nesta quarta, pela Copa Sul-Americana, o jogador fez um pronunciamento à imprensa.

Dessa vez, ele admitiu ter usado o braço após conferir o lance no vídeo, acompanhado do diretor de futebol alvinegro, Flávio Adauto, e do gerente Alessandro Nunes, ele afirmou o seguinte:

Estou muito tranquilo, agradeço a todos os elogios (de Flávio Adauto, antes da entrevista), quem me conhece sabe que sou uma pessoa só, não tenho duas personalidades.

Depois que saí do jogo, não tinha visto a imagem do gol, chegando em casa, vi que a bola tocou no braço.

Mas quero deixar claro que não quis trapacear, os 19 gols que fiz foram com suor e dedicação, não tive intenção de colocar a mão na bola, disse Jô.

Não tinha intenção de fazer coisa errada, quem me conhece sabe que tenho caráter, com a minha mudança (depois de um passado problemático), tenho sido exemplo para jogadores e algumas pessoas.

Sou grato ao que o Corinthians tem feito por mim, eu não queria ter feito sacanagem, se eu tivesse convicção (logo após a partida), eu falaria.

Não tenho por que esconder algo, foi uma simples jogada, poderia acontecer com qualquer jogador, completou.

Antes do pronunciamento, Jô e Corinthians cogitaram a divulgação de um vídeo com declarações do atleta, mas desistiram da ideia.

Durante toda a última segunda-feira, direção e comissão técnica do clube discutiram a melhor estratégia para blindar o centroavante das críticas, Jô ficou chateado com a repercussão do caso.

Veja Também  Athletico-PR leva virada do Boca Juniors no fim e avança em segundo na Libertadores

Ele foi bastante criticado, principalmente nas redes sociais, por não aproveitar a chance para praticar fair play e repetir o que fez o zagueiro Rodrigo Caio, do São Paulo, que no Paulistão se acusou para evitar um cartão amarelo ao próprio atacante.

Para o jogador corintiano, contudo, os casos são distintos e a comparação não é justa.

Em meio ao que julgou ser um “bombardeio” de adversários e jornalistas, o camisa 7 recebeu o apoio de jogadores, dirigentes e funcionários do Timão na última segunda-feira, no CT Joaquim Grava.

Em entrevista coletiva, o meia Rodriguinho absolveu o centroavante e afirmou que as críticas são mais pesadas quando o Corinthians é beneficiado pela arbitragem.

Após a polêmica, a CBF decidiu que o Campeonato Brasileiro terá árbitro de vídeo a partir da próxima rodada.

Até agora a entidade se recusava a utilizar este recurso em suas competições por causa do alto custo da operação.

Apesar de o gol irregular, o Coronel Marcos Marinho, chefe da comissão de arbitragem da CBF, disse que não estuda qualquer tipo de punição aos árbitros da partida entre Corinthians e Vasco.

Eduardo Valadão, de Goiás, era quem estava ao lado da trave. Baseado no apontamento dele, o árbitro Elmo Resende, também de Goiás, validou o gol.

Comentar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui