Tremor em escola no México mata 26 crianças

Em meio ao caos e gritos desesperados, um homem de camiseta azul caminha com dificuldade até um posto médico, dois soldados o ajudam a se manter de pé, muito pálido, balbucia seu nome, Leonardo, e diz que precisa regressar, que não pode se afastar do lugar onde está seu filho.

A 30 metros dali, encontra-se o que sobrou da escola Enrique Rebsamen, praticamente destruída pelo tremor de magnitude 7.1 na tarde de terça-feira, o segundo forte terremoto a atingir o México em setembro.

O desabamento, que afetou a saída de emergência da escola, ocorreu justamente quando pais e responsáveis retiravam as crianças do local durante os tremores.

Enquanto equipes de resgate procuram desesperadamente por sobreviventes, contam também os mortos: 26 crianças e dois adultos. Onze pessoas foram resgatadas.

O correspondente da BBC Mundo na Cidade do México, Alberto Nájar, visitou a escola e testemunhou o desespero de socorristas e pais de crianças.

Nájar relatou que pelo menos cinco alunos foram retiradas dos escombros e levadas a um hospital, não há informações ainda sobre o estado de saúde dessas crianças.

Cerca de 30 pessoas estão sendo consideradas desaparecidas.

É possível, no entanto, que muitas tenham sido retiradas da escola, que fica no sul da Cidade do México, antes do desabamento.

O tremor atingiu o México no aniversário do devastador terremoto de 1985 que matou cerca de 10 mil pessoas.

Nesta quarta, as autoridades mexicanas contabilizaram pelo menos 217 mortos no país e esse número ainda pode aumentar, pelo menos 27 prédios desabaram.
O tremor foi registrado às 13h14 no horário local (15h14 em Brasília) com epicentro nos arredores da cidade de Axochiapan, no Estado de Morelos, distante 120 km da capital mexicana.

Veja Também  Trio sequestra garota de 14 anos e a força a fazer sexo com 20 homens

A capital do México, com mais de 20 milhões de habitantes, é uma das mais densamente povoadas do mundo, o que ajuda a explicar o grande número de vítimas.

O terremoto ocorreu duas horas depois de mexicanos terem feito uma simulação de como se proteger contra tremores.

Quando a alarme soou, muitos não reagiram pensando se tratar de uma repetição do exercício anterior e não uma trágica coincidência com o histórico terremoto de 1985.

Situado sobre três placas tectônicas, o México é propenso a tremores, no início deste mês, um terremoto de magnitude 8,1 atingiu o sul do país e deixou mais de 90 mortos.

Na terça, após o terremoto, quase 2 milhões de pessoas na capital ficaram sem eletricidade e as linhas telefônicas entraram em colapso.

O prefeito da Cidade do México, Miguel Angel Mancera, informou que pelo menos 44 edifícios na capital mexicana sofreram grandes danos.

Via : BBC Brasil

 

Comentar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui