Zagueiros “raiz”, Kannemann e Carli travam duelo à parte em Grêmio x Bota

0
224

Representantes do estilo aguerrido da Libertadores, Walter Kannemann e Joel Carli travaram duelos de tirar faísca durante o empate em 0 a 0 entre Botafogo e Grêmio, no primeiro jogo das quartas de final da competição, no Rio de Janeiro.

Antes desconhecidos do futebol brasileiro, os argentinos precisaram de poucos meses em seus clubes para ganhar as torcidas como típicos zagueiros “raiz” e protagonizam a batalha derradeira a partir das 21h45 desta quarta-feira, em Porto Alegre.

O lance emblemático da partida no Nilton Santos ocorreu aos 17 minutos do primeiro tempo (reveja no vídeo).

Enquanto Leo Valencia se preparava para cobrar uma falta próximo à lateral direita, os gringos se engalfinhavam na área gremista.

Puxa dali, agarra de lá, e o árbitro venezuelano José Argote pouco se preocupou, Lucas Barrios afastou o cruzamento, e Carli ergueu os braços em reclamação, quase imperceptível.

Aos 38 do segundo tempo, mais uma falta a favor do Botafogo e tome empurra-empurra, desta vez, o juiz foi mais incisivo na bronca, mas sem maiores consequências.

Além do temperamento sanguíneo, Kannemann e Carli carregam trajetórias parecidas no Brasil.

Chegaram a Grêmio e Botafogo em 2016 sob certa desconfiança, mas rapidamente conquistaram o coração de tricolores e alvinegros, muito pelo empenho dentro de campo e o espírito de que não há bola perdida.

Fora das quatro linhas, mudam o tom e dividem o perfil “gente boa”, o jogador do time carioca ainda conquistou a braçadeira de capitão.

A dupla de zagueiros é oriunda do viril futebol argentino, Carli, de 30 anos, despertou o interesse do Botafogo por suas atuações pelo Quilmes.

Já Kannemann, 26 anos, eliminou o próprio Grêmio com a camisa do San Lorenzo nas oitavas de final da Libertadores de 2014.

Veja Também  32 mil vão à arena para treino do Corinthians antes do Dérbi

Mas foi buscado apenas dois anos depois, quando atuava pelo Atlas, do México, vantagem de um lá, de outro aqui.

Em seu país natal, os defensores duelaram apenas uma vez por Quilmes e San Lorenzo, foi em 28 de agosto de 2014, com vitória fora de casa do Ciclón por 3 a 0, no jogo, ambos receberam cartão amarelo.

Do ano passado para cá, voltaram a se enfrentar três vezes no futebol brasileiro, com vantagem para Carli, que venceu duas e empatou a última, no primeiro jogo das quartas.

O zagueiro botafoguense vive a melhor fase da carreira, em sua primeira disputa de Libertadores.

Com 65 jogos e quatro gols, despertou interesse de dois clubes mexicanos em agosto, mas não houve propostas.

Depois de ficar fora por uma lesão na coxa direita durante a vitória por 2 a 1 sobre o Bahia, em Salvador, pelo Brasileirão, retornou justamente no empate com o Grêmio, no Rio.

Kannemann chegou para a reserva do Tricolor em julho de 2016, mas Renato Gaúcho assumiu o comando logo em seguida e tornouo titular.

Ao lado de Geromel, passou a formar uma das melhores duplas de zaga do país, soma 64 partidas e tem um gol marcado.

Recentemente, quebrou dois dentes do companheiro Ramiro com uma cotovelada em choque pelo alto na vitória por 5 a 0 sobre o Sport.

Fonte : https://sportv.globo.com

Comentar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui