STJ nega pedido de Richa e mantém delação na Publicano

0
175

Os ministros da Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília, negaram por unanimidade, nesta quarta-feira (20), o pedido do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), para anular o acordo de colaboração premiada do ex-auditor fiscal Luiz Antônio de Souza, principal delator da Operação Publicano.

Existe um inquérito contra o tucano, desde o início de 2016, nele, Souza sustenta que o esquema de corrupção que funcionava na Receita Estadual também abasteceu um caixa dois da campanha de reeleição de Beto Richa, em 2014.

O Governador, nega que tenha recebido ilícitos, os termos do acordo de colaboração foram firmados pelo fiscal com a unidade de Londrina do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), braço do Ministério Público do Estado do Paraná.

No ano passado, a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) do Paraná pediu na Justiça a nulidade da delação premiada de Luiz Antônio de Souza.

A PGE questionou o acordo feito entre delator e Ministério Público, que deu origem a investigação autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça.

Comentar

Veja Também  STJ nega habeas corpus a Lula e confirma fama de ‘câmara de gás’ da 5.ª Turma

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui