Benefícios para as vítimas do desastre de Mariana são vendidos pela internet

Cartões do Programa de Indenização Mediada, que deveriam ser utilizados por pessoas atingidas pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, viraram mercadoria em sites de Governador Valadares, no leste mineiro, de acordo com reportagem da rádio CBN.

A tragédia em novembro de 2015 matou 19 pessoas, poluiu rios em Minas Gerais e no Espírito e atingiu cerca de 30 municípios.

O benefício, que deveria cobrir o pagamento de despesas pessoais, estaria sendo negociado no mercado paralelo.

A reportagem da CBN simulou o interesse pela compra dos cartões e conseguiu gravar conversas com alguns anunciantes.

Uma delas oferece três cartões de adulto, com créditos de R$ 1 mil reais cada um, por R$ 700.

Os recursos do Programa de Indenização Mediada são provenientes da Fundação Renova, criada após a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta pela Samarco e suas acionistas, responsáveis pela barragem.

O programa tem como objetivo ressarcir as vítimas do desastre ambiental de Mariana, sem os trâmites e os custos de uma ação judicial.

Questionada pela rádio, a Fundação Renova esclareceu, em nota, que não recebeu nenhuma notificação sobre o ocorrido e que, para garantir a transparência e integridade no processo de indenização, é realizada uma conferência de toda a documentação solicitante e uma certificação de validade desses documentos.

Após a análise, o cartão só é entregue presencialmente ao solicitante mediante apresentação do documento de identificação e o valor da indenização é creditado em até 90 dias depois.

O cartão pode ser utilizado para compras ou até mesmo para saques em espécie.

Comentar

Veja Também  Benefícios do Governo Federal terão novas regras de cancelamento no INSS em 2019

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui