Sistema consegue identificar pacientes com Alzheimer anos antes de a doença ‘aparecer’

Pesquisadores da Universidade de Bali, na Itália, conseguiram criar um algoritmo que detecta o Alzheimer antes de os primeiros sinais da doença aparecerem. O sistema de inteligência artificial consegue encontrar mudanças estruturais no cérebro, que são causadas pela doença muito tempo antes de a pessoa ser diagnosticada.

Para conseguir essa façanha, a equipe alimentou o sistema com quase 70 exames de ressonância magnética, com e sem a doença. Depois, o sistema dividiu o cérebro em pequenas regiões e partiu em busca de semelhanças entre cada um dos exames. Assim, itens pequenos puderam ser percebidos e analisados como pequenas “pistas” da presença da doença. A terceira parte do estudo foi a da experiência.

O sistema analisou 148 indivíduos e os resultados foram promissores: a tecnologia conseguiu detectar 86% dos casos de pacientes que sofrem de Alzheimer com anos de antecedência. A técnica pode ajudar a desacelerar a doença já que, quanto antes ela for descoberta, maiores as chances de melhorar a vida da vítima dela.

 

 

Comentar

Veja Também  Justiça concede liminar que permite tratar homossexualidade como doença

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui