Juiz declara que viagem de Dilma para visitar Lula não foi oficial

O juiz Hong Kou Hen, da 8ª Vara Federal de São Paulo, declarou como “não oficial” a viagem que a ex-presidente Dilma Rousseff fez a São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, para visitar seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva em março de 2016. As informações são da revista Época. A visita ocorreu um dia após o ex-presidente ter sido levado coercitivamente a depor pela Polícia Federal para ser interrogado na Lava Jato.




“A visita a um amigo, ainda que plenamente cabível o uso de transporte oficial, não tem como ser reconhecida como exercício de atribuições constitucionais, legais ou regulamentares de um presidente da República, mas unicamente como interesse pessoal. O deslocamento presidencial de Dilma Rousseff tampouco atendeu a qualquer interesse público”, afirmou o juiz.

Ainda que a viagem tenha sido motivada por interesses particulares, não cabe devolução dos valores gastos no trajeto e com equipes de apoio. A ação foi ajuizada pelo advogado Júlio Cesar Martins, ligado ao Movimento Contra a Corrupção. À revista, ele afirmou que vai recorrer para que Dilma seja condenada a ressarcir os cofres públicos.

Comentar

Veja Também  Bolsonaro pede ao STF para desarquivar queixa apresentada por ele contra Jean Wyllys
Tags

Mauricio Dias

Nada "além" do compromisso com a informação | Jornalismo independente

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios