Governo de SP afasta delegado de operação na casa de filho de Lula

0
160

O secretário estadual da Segurança Pública, Mágino Alves, determinou nesta quarta-feira (11) que o delegado responsável pela operação na casa de Marcos Lula da Silva, filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, seja afastado do caso. Na terça (10), a Polícia Civil cumpriu um mandado de busca e apreensão na casa de Marcos Lula, em Paulínia (117 km de São Paulo), após ter recebido uma denúncia anônima de que haveria drogas naquele endereço.

Segundo a coluna “Mônica Bergamo”, não foram encontrados entorpecentes na residência. Além disso, a polícia apreendeu dois notebooks, CDs, DVDs, disquetes e documentos de Marcos Lula. Em nota encaminhada à redação, a pasta afirma que investigará essa diligência em um procedimento administrativo e que, para preservar a apuração, afastará o delegado Rodrigo Luís Galazzo. O secretário se reuniu nesta quarta com seis deputados estaduais do PT: Alencar Santana Braga, Enio Tatto, Ana do Carmo, Márcia Lia, José Américo e José Zico Prado.

O partido solicitou a audiência para pedir esclarecimentos ao titular da Segurança sobre a conduta de Galazzo. Para os parlamentares, o delegado “agiu com clara finalidade política de perseguir Lula e sua família”. “A alegação de que houve uma denúncia anônima sobre drogas e armas em um determinado endereço não se sustenta por algumas razões. A principal delas é que não havia nada no local”, afirmou a bancada do partido na Assembleia Legislativa de São Paulo, também em nota.

Segundo os parlamentares, no pedido de busca e apreensão encaminhado à Justiça havia dois endereços ligados a Marcos Lula: sua atual residência e a antiga. No entanto, afirmam, a denúncia só se referia a um local. “Essa é a prova cabal de que os delegados agiram com finalidade política”, afirma o PT.

Veja Também  Gilmar Mendes nega transferência do ex-governador Sérgio Cabral para presídio federal

documentos

O deputado Alencar Santana Braga, líder da bancada na Assembleia, diz que, além da questão dos endereços, os deputados abordaram a apreensão dos computadores e documentos. “A ordem é para apreender armas e drogas, como ele sai de lá com papéis e computadores?”, afirma o parlamentar. “O conjunto de erros dá margem a entender que o objetivo do delegado era político e que não tem sentido ele apurar qualquer coisa desse procedimento.” De acordo com Alencar, o secretário disse aos petistas que investigaria a operação para averiguar a conduta dos agentes e que, naquele momento, não era possível afirmar se a operação foi ilegal ou se estava correta.

O mandado de busca e apreensão expedido pelo Tribunal de Justiça autoriza os policiais a proceder a “busca e, se for o caso, a apreensão de entorpecentes, armas e outros objetos ligados ao crime”. A Secretaria da Segurança Pública afirma que investigará se houve equívoco do delegado ao retirar do local computadores e documentos, mesmo que não tenha encontrado indícios de drogas na residência de Marcos Lula. Sobre o destino dos computadores e documentos do filho do ex-presidente, caberá agora à Justiça decidir o que será feito com todo o material apreendido. A Folha não conseguiu contato com o delegado até a publicação desta reportagem. A Secretaria da Segurança Pública afirmou que ele não irá se pronunciar. O advogado da família Lula, Cristiano Zanin, que representa Marcos nesse caso, afirma que não irá comentar a decisão da secretaria.

DENÚNCIA

Filho adotivo do ex-presidente, Marcos mora em Paulínia. A operação foi deflagrada depois de uma denúncia anônima feita por telefone ao Disque Denúncia. De acordo com o que a polícia informou à Justiça, o denunciante dizia que uma grande quantidade de drogas poderia ser encontrada na residência. A polícia informou que pediu o mandado porque não poderia fazer uma operação de monitoramento, vigiando a casa à distância, em razão de câmeras instaladas na rua.

Veja Também  Alvaro Dias estreia com baixíssima rejeição em pesquisas para Presidência

Comentar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui