Policial civil de folga espera ladrão subir em sua moto e só aí atira

0
137

Circula em redes sociais um vídeo que mostra o exato momento em que um assaltante resolve abordar um policial civil, o caso foi registrado próximo a Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a UERJ, próximo ao Maracanã. O agente policial desce da motocicleta em que estava de braços para cima e espera o bandido montar nela e só então reage ao assalto, atirando contra o bandido, iniciando uma troca de tiros na Avenida Professor Manoel de Abreu. O criminoso foi identificado como Thiago Sanches Santos de Andrade, tinha 30 anos e morreu após ser atingido.

O policial que conseguiu tirar o bandido de circulação não se feriu. O criminoso estava com uma pistola calibre 45. O crime aconteceu na quarta-feira passada, dia onze de outubro, perto da terceira entrada da universidade, era cerca de 20h30. O momento de tensão foi registrado por um carro que estava atrás do policial. O criminoso que foi alvejado tinha ajuda de um cúmplice, que conseguiu escapar dali. Os policiais do sexto batalhão da Polícia Militar na Tijuca fizeram buscas, mas não conseguiram encontrar o outro bandido. O caso ainda está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro.

Os moradores e pessoas que passavam ali ficaram assustados com o tiroteio na região. Existem alguns bares, restaurantes e outros estabelecimentos comerciais perto de onde tudo aconteceu. Os internautas relataram em redes sociais terem escutado os tiros de dentro da UERJ. Por outro lado, diversas pessoas demonstraram total apoio ao policial e sua ação: “Perfeita a ação do policial! Se o bandido visse que ele estava armado ia atirar de forma aleatória e ai sim matar muita gente inocente. Menos um bandido na rua!”; escreveu a internauta Lais. “Na foto de capa dá pra ver o policial de arma em punho mirando o meliante.

Veja Também  Prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella vai receber aposentadoria especial

Ali ele poderia se render, mas preferiu tentar a sorte. Na primeira oportunidade que tivesse, teria sacado sua arma e revidado contra o policial. O meliante representava perigo iminente, e foi alvejado dentro dos preceitos legais, após tentativa de rendição”, escreveu Carlos. Só este ano morreram 107 policiais militares vítimas de homicídios dolosos. Foram 37 sargentos, 33 soldados, 20 cabos, 15 subtenentes e 1 tenente. 66 dos policiais vitimados estavam fora de escala no dia que sofreram o atentado, ante 22 em serviço. 19 eram reformados. 44 foram reconhecidos durante um assalto, 34 foram executados premeditadamente, 17 em confronto com criminosos, cinco foram baleados em brigas, um por assassinato em família, um por crime passional e outro por bala perdida. Foram 19 vitimados em janeiro, 13 em fevereiro, 14 em março, 16 em abril, 12 em maio, nove em junho, nove em julho, oito em agosto, cinco em setembro e dois em outubro, de acordo com o G1.

Veja o vídeo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here