WhatsApp pode ajudar a salvar vidas, mostra pesquisa

0
161

O WhatsApp pode ser mais útil do que você imagina. Um estudo realizado na Argentina mostra que o aplicativo pode acelerar atendimentos de pessoas que sofreram infartos. No país, é comum que médicos utilizem o app para trocar mensagens e enviar diagnósticos de exames importantes realizados para áreas de emergência de hospitais, o que evita que eles tenham que passar por uma triagem ao chegarem ao local.

A economia de tempo é um fator vital para a recuperação de quem sofre um infarto. “Os pacientes têm mais chances de sobreviver quando recebem a angioplastia primária para restaurar o fluxo sanguíneo em artérias bloqueadas dentro de 90 minutos após contatar o serviço de saúde”, explica Nicolás Lalor, do Instituto Cardiovascular de Buenos Aires.

O estudo analisou quase 900 pacientes ente 2012 e 2016 tratados em dois grandes hospitais de Buenos Aires. Segundo os pesquisadores, foram considerados três métodos de admissão nos hospitais: os que chegaram por seus próprios meios, os que chegaram de ambulância e foram encaminhados à sala de emergência, na triagem, e os que pularam a etapa, com o uso do aplicativo. Os resultados apontam que o tempo gasto pelos dois primeiros grupos foi quase uma hora maior do que o terceiro.

“Descobrimos que notificar a sala de cateterismo usando o WhatsApp e transferindo pacientes direto da ambulância, ignorando a sala de emergência, levou a um tratamento mais rápido e a melhores resultados. A notificação avançada permite aos funcionários do hospital preparar o laboratório e o médico para estarem prontos quando o paciente chega”, explica o doutor Calor. Segundo o especialista, usar o app é “uma maneira fácil de barata de garantir a comunicação entre a ambulância e os médicos do hospital”. “Vamos levar esse procedimento para outros hospitais na Argentina”, detalha.

Veja Também  Novo recurso pode ajudar a acabar com discussões no Facebook

O estudo foi publicado pela Sociedade Europeia de Cardiologia.

Comentar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui