Advogado diz que é ‘dever nacional’ estuprar mulheres que vestem jeans rasgado

0
232

Um famoso Advogado está provocando uma grande indignação depois de afirmar que mulheres que usam jeans rasgados merecem ser assediadas sexualmente e estupradas. O homem foi identificado como Nabih Al-Wahsh, que é um polêmico advogado no Egito. Segundo ele, violentar as mulheres que usam jeans rasgados é o “dever nacional” de um homem.

Ele acrescentou que as mulheres que mostram partes de seu corpo usando essas roupas estão convidando os homens a persegui-las e cometerem o crime. Seus comentários foram feitos durante um programa de TV chamado “Infrad,” no canal por satélite Al-Assema.

Segundo informações da imprensa local, o advogado estava participando de um debatendo sobre um projeto de lei sobre a prostituição e o incentivo à devassidão.

Foi quando Wahsh fez os comentários de fazer cair o queixo. Durante o debate polêmico, o advogado disse: “Você é feliz quando você vê uma menina andando na rua com o deixando verem sua parte de trás? Eu digo que quando uma menina e uma emulação como acontece, é um dever patriótico a assediar sexualmente e um dever nacional estuprá-la.”

Suas declarações causaram polêmicas e provocaram fúria em todo o país. Conforme relatos, o Conselho Nacional da Mulher do Egito anunciou que planeja apresentar uma queixa ao procurador-geral contra Wahsh e o canal de TV.

O conselho disse que também tinha uma queixa no Conselho Supremo para uma regulamentação da mídia e pediu que os meios de comunicação não provoquem as controvérsias que fazem observações que incitam a violência contra as mulheres. Wahsh disse mais tarde que seus comentários eram um apelo para exigir uma punição mais severa para o assédio sexual. Ele acrescentou: “As diferenças são respeitadas para os outros países.

Veja Também  Homem cai do 9º andar, se levanta e continua bebendo

Proteger a moral é mais importante do que como fronteiras de proteção”. Segundo um relatório encomendado pela ONU (Organização das Nações Unidas), no ano de 2013, 99% das mulheres no Egito sofrem algum tipo de violência sexual. Porém, o advogado tentou se defender, dizendo que suas filhas também mereciam ser assediadas e estupradas, caso elas decidissem usar jeans que são rasgados atrás.

“Minhas filhas estão usando calças. Devemos nos referir aos costumes e tradições orientais derivados das religiões divinas. Eu não tenho nada a ver com isso, mas [se elas] cortarem as calças atrás, não temos nada para protegê-los.

Isso é um pedido aberto para qualquer jovem a persegui-la e fazer sexo com ela”, acrescentou Wahsh. Qual a sua opinião sobre os comentários deste advogado? Deixe-nos saber seus pensamentos na seção de comentários logo abaixo.

Com informações (br.blastingnews.com)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here