Padre causa polêmica ao continuar celebrando missas após ser pai

Apesar do voto de castidade ser uma das exigências para algumas lideranças religiosas, o caso de um padre português está causando um reboliço entre os membros do clero. Giselo Andrade, pároco da região do Monte, no país europeu, assumiu a paternidade de uma criança que nasceu em agosto de 2017 e, apesar das controvérsias, continua exercendo o cargo.

O diretor do Secretariado de Comunicação da Diocese do Funchal, bispo Antonio Carrilho, não se pronunciou sobre como o caso seria tratado. No entanto, no documento que anuncia as nomeações eclesiásticas, nenhuma referência ao caso foi registrada.

Ou seja, o sacerdote, bastante influente na região, continua exercendo sua função normalmente. “Não estou admirado por um padre ter um filho, nem por ele assumir a paternidade.

Me admiro por um padre fazer tudo isso e não haver consequências”, comentou um sacerdote da área da Madeira entrevistado pelo Jornal de Notícias. Segundo a imprensa local, a mãe da menina que foi uma colega de faculdade do jovem padre. Eles estudaram juntos Teologia da Comunicação na Universidade Gregoriana, em Roma.

Comentar

Veja Também  Governo chinês destrói igreja cristã não regulamentada no norte do país

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui