Mulher queima a mão do filho de 6 anos no fogão ‘É um valentão’

0
148

Uma mãe de 29 anos foi presa ainda no dia 9 de novembro em Miami por queimar a mão do filho de 6 anos em um fogão. A motivação da tortura foi porque a colombiana acredita que a criança seja um “valentão”.

Conforme as próprias palavras da mulher, identificada como Miriam Rebolledo, o menino teria matado um animal e ainda intimida outras crianças na escola, principalmente as meninas. Assim, para dar uma lição no garoto, a mãe decidiu tomar a atitude, que foi considerada como crime de abuso infantil e maus-tratos pelas autoridades norte-americanas.

A rede americana ABC passou a acompanhar o caso. Em entrevista, Miriam afirma que preferiu fazer isso enquanto o menino é criança por temer que ele cresça e se torne um adulto muito ruim. A justiça imediatamente tirou a guarda do filho da mulher.

No entanto, o pai, Miguel Carmo, ainda vive na Colômbia, na cidade de Barranquilla, e diz não ter condições para viajar aos Estados Unidos e pegar o filho para si. Além de perder a criança, a suspeita ainda poderá passar alguns anos presa.

Após ser detida, Miriam pagou uma fiança de 25 mil dólares para responder o processo em liberdade. A primeira audiência foi realizada ainda essa semana – as duas finais devem acontecer até a metade de dezembro.

Enquanto isso, a mãe pode ver o filho com supervisão da justiça apenas duas vezes por semana, com o tempo marcado de 1h45min. Por enquanto, a justiça decidiu que deve dar a guarda do garoto para uma prima da colombiana, que também mora em Miami.

A caminho da audiência, a colombiana parou e atendeu os jornalistas, que ficaram impressionados com a fala. A mãe afirmou que já tentou levar o garoto a psicólogos, mas ninguém conseguiu “acalmar” a criança. Para a colombiana, a criança pode crescer e virar um assassino, já que ele gosta de matar pequenos animais com apenas 6 anos.

Veja Também  Dono de revista pornográfica oferece US$ 10 mi por informação contra Trump

A juíza que está cuidando do caso afirmou para Miriam que não admite que queimar a mão e os dedos do filho em um fogão sejam uma maneira apropriada de punição. Para a colombiana, essa foi a única saída vista após inúmeros episódios de agressão na escola contra meninos, e principalmente, meninas.

Conforme a imprensa local, os vizinhos teriam ouvido os gritos da criança e chamado a polícia. Quando as autoridades chegaram na casa de Miriam, a mulher estava alterada. A juíza ainda declarou que não achou a criança agitada, como relata a mãe. Para a autoridade, o menino pareceu “tranquilo e simpático”.

Fonte : news365

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here