Suicídio assistido na Suíça é transmitido na TV (cenas fortes); Vídeo

A tradutora e escritora Michèle Clausse decidiu em 2010 acabar com a própria vida. A mulher, que sempre foi uma ativista pelos direitos iguais para homossexuais, tomou a decisão quando foi diagnosticada com uma doença óssea não-letal.

Sofrendo, Michèle teve ajuda de uma organização que auxilia no suicídio para esses casos, como é permitido na Suíça. No país, inclusive, duas organizações fazem esse tipo de serviço, a Dignitas e a Exit.

Um vídeo, que começa a ser frequentemente compartilhado na internet, mostra o processo e os últimos momentos da escritora. A gravação levanta a discussão sobre o tema em outros países em que a prática não é permitida, como no Brasil.

O vídeo começa com uma mulher, chamada Erika, preparando uma dose letal de uma substância, que será usada para tirar a vida da escritora. Em uma rápida conversa, a senhora pergunta cerca de quatro vezes se é isso que a escritora quer.

Em todos momentos ela responde que essa é a vontade dela. Antes de entregar o líquido, Erika explica novamente, que ao tomar a droga, ela dormirá e nunca mais acordará. Michèle afirma que entendeu tudo que foi dito e que aceita as condições. Erika era mulher de Michèle e entrega o líquido, despedindo-se da amada.

O suicídio assistido foi transmitido na TV. Após beber a droga, Michèle come um chocolate, já que a substância era extremamente amarga. Ao redor dela estão as pessoas amadas.

A escritora garante que fará o que adora, dormir. Antes de cair no sono, Michèle come mais alguns pedaços de chocolate. A droga, depois, faz com que ela durma, para depois falecer, sem sentir o que está acontecendo.

Nos comentários da publicação, que tem mais de 500 mil visualizações, muitos brasileiros apoiam a prática e garantem que deveria ser utilizada no Brasil, ainda mais para pessoas que não conseguem mais ter condições físicas de viver.

Veja Também  Atirador entra em igreja batista nos EUA e mata 27 pessoas com rifle

Ao mesmo tempo, os internautas reclamaram que a religião ainda tem muita influência na política, o que impede um “avanço no pensamento”. Para alguns, as pessoas tem que ter a liberdade de poder tomar essa escolha, ainda mais quando sofrem de alguma doença sem cura.

Veja o vídeo

Fonte : news365

Tags

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker