Homem é acusado de abusar de 276 crianças na Colômbia

'Lobo Feroz', o homem acusado de abusar de 276 crianças na Colômbia

0
174
(Foto: Reprodução/BBC-Humberto Matheus)

O oitavo computador da lan house era o seu favorito. Ele sentava na frente dele diariamente todos os dias transcrevendo textos, preparando slides e editando vídeos para seus clientes ou dando uma olhada no seu Facebook.

Ele sempre ficava de frente para a parede, com a cabeça baixa, até se isolar por completo do barulho ao redor. Do seu lado, havia uma bolsa cheia de balas e doces coloridos de vários sabores.

  • As guloseimas não eram para ele.

Juan Carlos Sánchez Latorre carregava-as para os meninos que frequentavam a lan house entre 2008 e 2009, geralmente para fazer trabalhos escolares. O local ficava na avenida Libertador de Maracaibo (oeste da Venezuela), em frente a uma quadra de basquete entre ruas cheias de comércio.

A idade deles variava entre sete e 12 anos. O homem colocava as crianças entre suas pernas, no colo, para mostrar a eles jogos online ou abrir contas para eles em redes sociais por onde poderiam se comunicar depois.

Deixi Tapia, uma mulher morena, simpática, que tinha perto de 50 anos e era dona da lan house Vasedeca, tem arrepios quando se lembra dessas cenas – que sempre pareceram normais para ela.

(Foto: Reprodução/Diário Versión Final)

Ela repreendia constantemente, sem sucesso, aquele homem de origem colombiana, especialista em computação e de atitudes reservadas, que trabalhou para ela por 18 meses. Ela o conheceu como “Danilo Gutiérrez”.

As autoridades da Colômbia têm registros de sua verdadeira identidade: Juan Carlos Sánches Latorre, nascido em 13 de setembro de 1980 em El Espinal (Tolima), criado em Barranquilla e denunciado em seu país por 276 abusos de meninos e meninas entre 2001 e 2006.

Ele foi preso recentemente na Venezuela – a polícia o procurava havia mais de cinco anos. “Eu sabia que ele tinha algo a esconder, sabia! Sabe Deus o estrago que ele causou”, diz à BBC a ex-chefe de Sánchez, ainda em choque com as reportagens sobre seu ex-funcionário na imprensa. Sánchez foi preso em dezembro do ano passado na cidade.

Veja Também  Professora 'gata' é presa por forçar alunos adolescentes a terem sexo com ela

Ele já estivera detido na cidade colombiana La Modelo entre março e novembro de 2008, mas o Sétimo Tribunal Penal Municipal de Barranquilla ordenou sua liberação devido ao vencimento dos termos no julgamento contra ele por abusar de uma criança de oito anos de idade. Foi quando aproveitou a oportunidade para fugir para a Venezuela.

  • ‘Modus operandi’

Sánchez ficou livre até 30 de janeiro de 2017, nove anos depois, quando a Interpol entrou na jogada. As investigações internacionais revelaram que havia um “modus operandi” na maneira como Sánchez atuava. Ele entrava em contato com os meninos em shoppings ou nas ruas de Barranquilla e os levava depois para motéis para fazer fotos e filmagens deles nus, oferecendo-lhes dinheiro ou ameaçando-o com armas brancas.

A imprensa colombiana se referia a ele como “Lobo Feroz” ou “Sadyko 13”, como o próprio criminoso se identificava na internet. Ele encontrou um esconderijo na Venezuela no final de 2008, segundo conhecidos e vizinhos.

Leia mais em g1.globo.com