Preço do Bitcoin volta a subir

entenda o mercado de criptomoedas

0
167
(Foto:Reproduçao/Pixabay)

O preço do Bitcoin, a criptomoeda mais famosa do mundo, chegou a subir 10% esta semana, superando a barreira dos US$ 10.200,00.

Em reais, a moeda registrou ganhos superiores aos 7%, subindo para R$ 33.200,00 – com alta de mais de R$ 2 mil em 24 horas. Esses valores foram os maiores atingidos desde 1º de fevereiro.

Para especialistas entrevistados pelo Yahoo, o preço do Bitcoin pode seguir em ascensão. “Ao final de 2018, as expectativas mais conservadoras são de pelo menos voltar o preço próximo a US$ 20.000,00, como era em 2017”, afirma Marcos Henrique, que é sócio Advisor da FOXBIT- uma das maiores exchanges do país.

Por outro lado, Adilson Silva, que é sócio da consultoria empresarial Mazars Cabrera, lembra que o preço da criptomoeda está diretamente ligado às questões de oferta e demanda.

“Por ser uma moeda não regulada, totalmente especulativa e sem lastro econômico, seria uma loteria afirmar sobre sua variação futura”, complementa ele.

  • Por que o preço do Bitcoin caiu nos últimos meses?

Apesar do movimento de alta desta semana, o Bitcoin ainda amarga uma queda de cerca de 30% em 2018, sendo que chegou a perder 50% do valor entre o fim do último ano e início deste.

Os especialistas explicam que diversos fatores estiveram envolvidos nessa tendência de baixa.

“A queda no preço de Bitcoin esteve atrelada provavelmente a uma junção de eventos.

Já é comum no período do Ano Novo Chinês acontecer uma grande força vendedora nos mercados asiáticos”, explica do sócio da FOXBIT.

Além disso, o mercado reagiu há rumores de que países da ásia gostariam de regulamentar a moeda.

“As autoridades da Coreia do Sul consideraram proibir as transações em criptomoedas e essa informação dentro de um cenário global causa impacto negativo à valorização do Bitcoin”, explica Adilson Silva, da Mazars Cabrera.

  • A mudança de discurso da Coreia do Sul

Nos últimos dias, a Coreia do Sul apresentou relatórios com uma abordagem mais branda sobre o futuro das criptomedas, ajudando o preço do Bitcoin a subir novamente.

Veja Também  Anvisa proíbe venda de lotes de frango da Perdigão em todo o Brasil

A mudança de discurso aconteceu após uma petição ser assinada por mais de 200 mil pessoas, pedindo menos regulamentação das moedas.

De acordo com a agência local de notícias BusinessKorea, um funcionário do governo sul coreano afirmou que o país pensa em adotar um sistema semelhante à BitLicense, que o Departamento de Serviços Financeiros do Estado de Nova York pede para empresas do estado americano.

Nesse caso, as casas de câmbio digitais seriam aprovadas com uma regulamentação adicional sobre criptomoedas, que dá permissão seletiva para as transações.

Segundo a agência, a Coreia do Sul acredita que esse mercado esteja menos superaquecido, com preços mais estáveis, o que permite uma regulamentação do tipo.

Fonte: yahoo.com