Desafio; Crianças para irem a escola atravessam rio em bóia; Vídeo

Crianças atravessam rio em boia para irem a escola no interior do Piauí

0
326
(Foto: Reprodução/Facebook)

Amontoados em cima de uma boia de pneu de caminhão, três crianças atravessam um rio no interior do Piauí para irem à escola. O flagrante é do professor Jefferson David Evangelista de Abreu, 34, que gravou um vídeo no último dia 26 mostrando o risco dos estudantes do povoado Passagem da Negra, no município de Campo Maior (a 78 km de Teresina).

Os estudantes estão se deslocando de boia desde o dia 21 de fevereiro, início do ano letivo. Com as fortes chuvas, o rio Longá encheu e o trecho ficou totalmente alagado. Cerca de 30 famílias que moram no povoado precisam atravessar o rio –a maioria, de boia, por não possuírem barcos.

A gravação mostra quatro pessoas em cima de uma boia —uma mãe com o filho de dois anos e duas meninas— fazendo a travessia do rio e sendo puxado por um homem. Na imagem aparece um rapaz com água até o pescoço. As estudantes têm que atravessar com mínimo de roupa para não molharem o uniforme.

O professor, que mora às margens do rio, disse que fez o vídeo para denunciar a situação que é secular. “A gravação é um ato de indignação, pois é uma tragédia anunciada. Há anos a população reivindica uma ponte e não sai”, disse o professor.

  • TRAVESSIA DE BARCO

Após a repercussão do vídeo do professor Jefferson Abreu, nas redes sociais e sites, veio a promessa da prefeitura de colocar barco à disposição dos moradores. “O problema é eterno e a população sempre usou boia, mas a partir de segunda-feira (5) vamos colocar barco à disposição da população e dois salva vidas”, disse o superintendente de Defesa Civil de Campo Maior, Edilson da Vargem.

Veja Também  Ibiporã; prefeitura notifica proprietários de veículos abandonados

Segundo a prefeitura, há dez anos a cidade não tinha um período de cheias rigoroso. A prefeitura ainda diz que não criou outra alternativa ao longo dos anos porque a população não reivindicou transporte para a travessia. No local, nunca existiu nenhuma ponte ou outra via. Desde fevereiro chove forte na região, cenário que deve prosseguir até abril ou maio. Os moradores têm outra opção de ir à cidade, mas é mais longa, de 30 km.

Eles preferem atravessar o rio e percorrer apenas 6 km para chegar a zona urbana do município. Em nota, a Prefeitura de Campo Maior informou que tenta junto ao governo do Estado recursos no valor de R$ 2 milhões para a construção de uma ponte.

Comentar