Boca Aberta é condenado por confusão com médicos da UPA

Boca Aberta é condenado a 22 dias de prisão por confusão em UPA

0
103
(Foto: Reprodução/CML)

O ex-vereador Emerson Petriv, popularmente conhecido como Boca Aberta, foi condenado a 22 dias de prisão em regime semiaberto pela confusão protagonizada com funcionários da UPA Leste Oeste (Unidade de Pronto Atendimento), na zona oeste da cidade, em janeiro do ano passado.

A sentença foi proferida na última quinta-feira (1º) pela juíza Telma Regina Magalhães Carvalho, do 5º Juizado Especial Criminal de Londrina. Apesar da condenação em primeira instância, o réu poderá responder o processo em liberdade. Boca Aberta foi enquadrado por perturbação de sossego, estabelecido no artigo 42 da Lei de Contravenções Penais (LCP). A Justiça considerou que o crime foi cometido com “gritaria ou algazarra”.

Na noite do dia 11 de janeiro, o ex-parlamentar foi até a unidade de saúde alegando ter recebido denúncias de usuários sobre a demora do atendimento, que chegava a 14 horas. Acompanhado de seu advogado, ele resolveu fiscalizar o serviço pessoalmente. Ao chegar na UPA, ouviu as reclamações dos pacientes por aproximadamente 40 minutos.

Veja Também  8 condenados da Lava Jato podem ser soltos se STF abrir precedente para Lula