Temer perdoa R$ 47,4 bilhões em dívidas de empresas

0
92
Foto: Reprodução/Divulgação

O ex-presidente Michel Temer bateu o recorde dos últimos 10 anos e concedeu o perdão de R$ 47,4 bilhões de dívidas de empresas com o último grande Refis, concedido pelo governo federal.

No total, foram 131 mil contribuintes perdoados, enquanto o restante de débitos tributários, o equivalente a R$ 59,5 bilhões, foi parcelado em até 175 vezes. As informações são do Estadão/Broadcast.

Ao longo de todo o ano, deputados e senadores fizeram forte pressão sobre o presidente para alterar as condições do Refis. O governo, por sua vez, acabou cedendo aos pedidos, acreditando num apoio à reforma da Previdência.

Entenda

O parcelamento do Refis permite a renegociação das dívidas das empresas com o país, com descontos sobre multas, juros e encargos. Como contrapartida, o país recebe uma parte da dívida adiantada. O Refis do ano passado só ficou atrás do chamado ‘Refis da Crise, que aconteceu em 2008, com um perdão de R$ 60,9 bilhões.

Governo quer fim de refinanciamentos

Marcos Cintra, secretário especial da Receita Federal, afirmou que na gestão de Paulo Guedes, o atual ministro da Economia, não haverá mais programas de parcelamentos de dívidas. Ele afirmou que o Refis têm sido usado como artifício de devedores para protelar o pagamento.

“A principal mensagem e missão frente à Receita é fazer todos pagarem, pois assim os atuais contribuintes pagarão menos, e a pressão fiscal poderá diminuir. Em princípio, defendo a proibição de novos programas de parcelamentos incentivados”, declarou. Cintra indica que a concessão dos parcelamentos “criou acomodação nos contribuintes, que não se preocupam mais em liquidar suas dívidas”.

Para o Congresso, o objetivo do Refis era oferecer condições aos empresários afetados pela crise para que pudessem voltar a ter capacidade de investimento.

Veja Também  No Chile, repórter é expulso após pergunta a Temer sobre corrupção

Com informações: Yahoo Notícias

Comentar