Polícia investiga fotos vazadas de jovem morta pelo companheiro durante visita íntima em CDP

0
238
Foto: Reprodução/Facebook

A Polícia Civil investiga o vazamento de fotos do corpo da jovem de 22 anos espancada no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Jundiaí (SP) pelo companheiro preso. A pena prevista para o crime de vilipêndio de cadáver, que é a exposição das imagens, é de prisão de um a três anos, além de multa.

De acordo com a delegada da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Jundiaí Renata Yumi Ono, a família da vítima Nicolly Guimarães Sapucci, de Bragança Paulista (SP), comunicou à polícia que fotos que seriam da jovem estão circulando em grupos de aplicativos de mensagens.

“A pessoa que se esconde atrás da tela de um computador acreditando que está fora do alcance da polícia ou das leis deixa uma trilha de pistas. Cada acesso, curtida ou compartilhamento cria um rastro que levará até o criminoso”, explica a delegada.

Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), Nicolly visitava o companheiro Michael Denis Freitas, de 25 anos, preso por roubo no domingo (27) quando foi atacada. A ação só foi percebida pelos agentes penitenciários ao fim do período de visita, quando houve a contagem dos visitantes.

Na busca, Nicolly foi encontrada desmaiada e com ferimentos graves. A vítima foi levada para o Hospital São Vicente e morreu durante atendimento com traumatismo craniano.

Feminicídio

O agressor foi autuado em flagrante por homicídio e, mesmo já respondendo por roubo, foi indiciado por feminicídio depois de ser ouvido no plantão policial.

Ainda segundo a delegada, Michael afirmou no plantão que a jovem tinha ciúme de um antigo relacionamento dele. No entanto, a investigação tenta apurar as causas da agressão com o depoimentos de familiares. Os agentes penitenciários e o diretor da unidade já foram ouvidos.

Veja Também  Criança de seis anos é assassinada na frente da mãe com caco de vidro

O agressor foi transferido para uma cela de segurança máxima da Penitenciária I de Presidente Venceslau (SP). A DDM aguarda laudos do IML e do Instituto de Criminalística para finalizar o inquérito.

Relacionamento

A vítima e o agressor estavam juntos há dois anos. Michael está preso desde 2018 por roubo. Conforme a polícia, não havia queixa da jovem registrada contra o namorado.

Nas redes sociais, Nicolly publicava declarações de amor ao companheiro preso e chegou a escrever um relato sobre a rotina deles. De acordo com a SAP, ela estava cadastrada para visitas desde 23 de março de 2018 e comparecia no CDP regularmente.

O corpo da jovem foi enterrado no cemitério municipal de Bragança, na terça-feira (29). Nicolly deixa um filho de 4 anos.

Fonte: G1

Comentar