O que inicialmente foi diagnosticado como uma simples acne se tornou um sério problema para uma americana de 33 anos. Rachel Star Withers, moradora da Carolina do Sul (EUA), contraiu uma bactéria “zumbi” ao lavar o rosto em um banheiro público. A bactéria estaria no dispensário de sabão que não foi higienizado.

Resistente a antibióticos, a bactéria identificada como Klebsiella oxytoca “come” a carne aos poucos. Em pessoas com sistema imunológico debilitado, ela pode ser fatal.

Inicialmente, as marcas vermelhas na bochecha da americana pareciam ser uma simples manifestação de acne.

“Eu já tinha tido acne. Eu sabia que era alguma outra coisa, mas os médicos não me davam ouvidos”, afirmou ela à People.

Depois de passar por dezenas de médicos – ela estima ter se consultado com pelo menos 15 – a moça finalmente conseguiu ajuda. Foram colhidas amostras das feridas em seu rosto e a presença da bactéria foi detectada. Os profissionais da saúde levaram algumas semanas para encontrar o antibiótico certo. Enquanto isso, Rachel continuava piorando e chegou a perder o movimento de seus músculos faciais do lado direito.

Quando o remédio certo foi encontrado, ela começou a receber doses ininterruptas do medicamento, que conseguiram acabar com a infecção. No entanto, além das cicatrizes, Rachel contou à revista que não consegue mais fazer coisas que demandam grandes esforços. “Meus tendões e coluna tomaram uma surra”, afirmou. Visualizar esta foto no Instagram.

Week and a 1/2… insane. Went from a spreading painful flesh eating bacteria- causing paralysis, skin scalding to it being killed but taking out all the skin and tissue it was in. Looked like I was going to be left with a large 3 inch hole in the side of my face (plus many smaller dime size ones). Now you would have no idea I lost a chunk if my face. 💪🏼 Still no official diagnosis… . . #necrotizing #necrotizingfasciitis #fasciitis #cellulitis #skininfection #infection #klebsiella #bacteria #flesheatingbacteria #zombie #zombievirus #recovery #recoveryjourney #heal #healing #isolation #dermatology #dermatologia #dermatologist #infectiousdisease

Veja Também  Polícia dos EUA prende maior traficante de armas do Brasil

Uma publicação compartilhada por Rachel Star Withers (@rachelstarlive) em 22 de Out, 2018 às 7:20 PDT

A moça havia acabado de voltar de uma viagem à Ásia quando o problema surgiu – os médicos acreditam que foi no continente que ela contraiu a bactéria.

Segundo o Daily Mail, um teste conduzido pela Universidade do Arizona (EUA) pelo microbiologista Charles Gerba descobriu que 15% dos 296 dispensários de sabão de restaurantes do estado apresentaram resultado positivo para perigosas bactérias, incluindo E. coli, salmonella e Klebsiella oxytoca.

O risco não se limita ao espaço público. Especialistas advertem que dispensários de sabão podem se transformar em criadouros de bactérias mesmo dentro de casa, caso não sejam limpos.

Fonte: Yahoo

Comentar