O homem preso nesta terça-feira (26), em Foz do Iguaçu, suspeito de ter matado uma família inteira a enxadadas em março de 2016, em Pinhais, teria cometido o crime por não aceitar o fim do relacionamento com Lindalva dos Santos – uma das vítimas. Na ocasião, o homem assassinou o atual marido da ex-companheira, a mulher e as duas filhas dela, que eram gêmeas e tinham seis anos.

O delegado Reinaldo Zequinão Neto, da Delegacia de Pinhais, explicou que Emerson dos Santos Simplício, de 47 anos, já tinha comparecido duas vezes à delegacia durante a investigação, e foi ouvido em ambas as vezes como testemunha. “Ele estava foragido há pouco tempo, desde setembro de ano passado, mas a investigação apontava ele como principal suspeito desde o início”, disse.

De acordo com o delegado, o homem não aceitava o fim do relacionamento com Lindalva e o fato da mulher ter reatado com o ex, Paulo Roberto Rodrigues Fuiza, de 54 anos. “Em determinado momento, ela [Lindalva] terminou com o autor e voltou com a vítima masculina [Paulo], o que teria causado a ira de Emerson”, comentou Neto. Além do casal, as duas filhas da vítima, identificadas como Camile e Nicole dos Santos, também foram assassinadas com golpes de enxada.

Simplício já tem passagem policial por tráfico de drogas, e deve responder por homicídio qualificado. “Ele está preso em Foz do Iguaçu, e uma equipe nossa vai se deslocar até lá para busca-lo”, completou o delegado.

O mandado de prisão foi cumprido pelo Grupo de Diligências Especiais (GDE), da 6ª Subdivisão Policial (SDP) de Foz do Iguaçu.

Fonte: Massa News

Comentar

Veja Também  Garota é morta após namoro secreto com o sogro, 31 anos mais velho que ela