Os irmãos Shane e Lenny Crawt, agora com 18 e 19 anos respectivamente, foram condenados pelo assassinato do pescador Walton Scott Wilkinson, 48 anos, enquanto o seu primo Charlie Smith, 24 anos, foi absolvido do assassinato mas condenado por homicídio culposo nesta sexta-feira (13).

O crime ocorreu em uma ilha no Tâmisa, na Inglaterra, no dia 27 de julho de 2016. Na ocasião, os três jovens- que acampavam na ilha, assim como o pescador- espancaram Walton até a morte com um pedaço de madeira porque ele reclamou que eles estavam fazendo muito barulho e soltando lixo perto da sua barraca.

O pescador foi espancado até a morte (Foto: Reprodução/Surrey Police)

Segundo testemunhas, pouco tempo depois, eles enviaram mensagens em um grupo de amigos se enaltecendo pelo assassinato: “acabamos de matar um homem”, teriam escrito. De acordo com o jornal Daily Mail, o corpo do Walton foi encontrado flutuando no rio no dia seguinte.

Julgamento

O trio negou ter assassinado o pescador, mas depois passaram a culpar um ao outro. No entanto, ao longo do julgamento de cinco semanas, o júri do Tribunal de Coroa de Guildford ouviu o que cada um dos três havia feito, entre “confissões ou meias confissões”.

Depois de quase dois dias de deliberações, o júri obteve veredictos unânimes. “Shane Crawt, Lenny Crawt e Charlie Smith pensaram que eles tinham se safado e até se gabavam do que haviam feito.

Eles então negaram seu envolvimento antes de culpar um ao outro, colocando a família de Scott em um julgamento penoso onde eles tinham que ouvir em detalhes gráficos o que Scott havia passado”, contou Paddy Mayers que liderou as investigações.

Charlie, primo dos irmãos, foi absolvido do assassinato (Foto: Reprodução/Surrey Police)

“Suas ações naquela noite foram cruéis, brutais, insensíveis e eles finalmente estão onde merecem. Eles nunca demonstraram nenhum remorso pelo que fizeram”, finalizou Mayers.

Veja Também  Corpo de pescador desaparecido é encontrado no Litoral

Os jovens mostraram pouca reação quando os veredictos foram lidos no tribunal, mas Smith disse “obrigado” ao juiz Jonathan Black antes de ser levado de volta às cela.

Os pais de Wilkinson, David e Janet Wilkinson, estavam presentes durante todo o julgamento e em um comunicado divulgado após os veredictos descreverem o filho como “amoroso, carinhoso e carinhoso”.

O Sr. e a Sra. Wilkinson acrescentaram: “O conhecimento das circunstâncias da morte de Scott é um fardo insuportável que teremos que carregar para o resto de nossas vidas.