Agora, o assunto da vez é a conta de luz, que realmente terá uma redução. Nos últimos tempos, a fatura só aumentou e causou insatisfação notória nos brasileiros. O governo de Bolsonaro pagou uma dívida de empréstimo que foi realizada durante o Governo Dilma, assim a redução anunciada é de cerca de 3,7%, até o final deste ano.

A dívida tinha sido feita no governo da petista para que os brasileiros não tivessem uma elevação exacerbada no preço da conta em 2015, quando o país passava por uma crise hídrica. O aumento foi evitado em um primeiro instante, porém está distribuído nas contas seguintes. Então Bolsonaro adiantou o pagamento para setembro deste ano, sendo que a quitação estava prevista para 2020.

Além de 3,7% neste ano, a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) anunciou que haverá uma nova redução no ano de 2020, esta de 1,2%. Com a quitação da dívida, consumidores deixarão de pagar R$ 6,4 bilhões de conta de luz neste ano. Na redução do próximo ano, os consumidores deixarão de pagar R$ 2 bilhões.

No total, a economia que virá a mais para o bolso dos brasileiros é de R$ 8,4 bilhões, exatamente o valor do empréstimo feito no governo Dilma. O empréstimo do governo Dilma uniu três operações e os recursos foram repassados em abril e agosto de 2014, posteriormente mais uma vez em 2015. Quando negociado, 13 bancos participaram, dentre eles estatais e privados.

Comentar

Veja Também  Governo anuncia diminuição no salário mínimo para 2018