A Frente Parlamentar de Medicina da Câmara dos Deputados deve entrar com uma representação no Conselho de Ética da Casa contra o deputado federal Emerson Petriv, o Boca Aberta (PROS), após o vídeo divulgado pelo próprio parlamentar em que ele vai até o Hospital São Camilo, na cidade de Jataizinho, na região metropolitana de Londrina e faz imagens com um médico que dormia. O vídeo foi gravado às 4h30 da madrugada e o profissional alegou que estava em seu horário de descanso, uma vez que não havia pacientes esperando atendimento na unidade.

O vídeo viralizou nas redes sociais e o deputado chegou a receber uma moção de repúdio por parte do Sindmed (Sindicato dos Médicos do Norte do Paraná).

Durante reunião da Comissão de Seguridade Social e Família, na Câmara Federal, em que o próprio londrinense faz parte, o deputado Hiran Gonçalves (PP-RR), fez uma fala repudiando o comportamento de Boca Aberta.

De acordo com o deputado de Roraima, Petriv teria faltado com decoro parlamentar, “ali, a meu juízo, faltou decoro”, disse.

“Nós deliberamos que vamos representar no Conselho de Ética em relação ao comportamento inadequado daquele deputado do Pros do Paraná, autodenominado Boca Aberta”, disse o parlamentar.

Boca Aberta defende as “blitz da saúde”

Boca Aberta defendeu o que ele chama de “blitz da saúde”, ação que se refere ao ocorrido no Hospital São Camilo, em Jataizinho. Para o parlamentar, o profissional estava em situação irregular, citando inclusive, códigos de conduta do próprio Conselho Federal de Medicina. “Um médico só pode descansar no plantão quando há mais de um atendendo. Um descansa e outro fica pronto para atender. Não é esse o caso”, apontou.

Veja Também  Em Londrina, Carille promove reestreia de Love no Corinthians

Ao ser indagado sobre a decisão da Frente Parlamentar de Medicina, o deputado Boca Aberta questionou a ausência dos parlamentares em outros episódios, sitando exemplos, como a prisão de um médico do SUS (Sistema Único de Saúde) na cidade de Guaratuba, litoral do Paraná, que questionou a falta de pagamentos durante o cumprimento de seu plantão e até mesmo o famoso caso do “doutor Bumbum”, médico que foi preso após causar a morte de mulheres ao fazer procedimentos estéticos.

O londrinense afirma que não quebrou o decoro parlamentar.

A Frente Parlamentar da Medicina deve encaminhar o documento na próxima semana.

Fonte: Tem Londrina

Comentar

Loading...