Londrina; MBL protocola pedido de cassação do prefeito Marcelo Belinati

(Foto: Reprodução/CML)

O Movimento Brasil Livre (MBL) protocolou um pedido de cassação do prefeito de Londrina, Marcelo Belinati (PP), e do vice-prefeito, João Mendonça (MDB). A intenção foi protocolada na tarde desta sexta-feira (29). Segundo o coordenador do MBL em Londrina, Douglas Ribeiro, o executivo teria realizado reajustes irregulares em salários.

“Esse pedido foi efetuado devido a decretos assinados pelo Belinati, em que favorecem ao prefeito, vice-prefeito e secretários com seus salários”, disse.

Segundo ele, o Tribunal de Contas do Estado do Paraná, realizou uma recomendação em 2017 e não em 2016 como dito durante a entrevista. Portanto, nenhum irregularidade teria acontecido na Gestão de Alexandre Kireeff, Belinati teria assinado os decretos referentes aos anos 2017, 2018 e 2019.

“Essas são informações que não são acessíveis para todo mundo. São difíceis de serem encontradas. A partir do momento em que foram encontradas entramos em contato com advogados do movimento e realizamos o pedido”, disse Ribeiro, justificando o porque só agora protocolaram a intenção.

Agora, é necessário que o presidente da Câmara despache o pedido. Aílton Nantes (PP), segundo a assessoria de imprensa do Legislativo, não está na Casa e só deve comparecer na próxima segunda-feira (1). Em contato com a prefeitura de Londrina, a assessoria de imprensa disse que Belinati não vai comentar o assunto.

Entretanto, confirmou que a lei foi atualizada pela última vez em 2015 dentro dos parâmetros regulares. Desde a publicação desta Lei não houve nenhum aumento de salário para Prefeito, Vice ou Secretários além da reposição inflacionária.

A pratica teve início em 2015 e simplesmente concede o INPC, quando esse é repassado aos servidores. Toda vez que tem há repasse, há um decreto que repassa também ao prefeito e vice.

Veja Também  Prefeitura: Boca Aberta e Kireeff lideram intenções de voto para 2020

Comentar