A Klabin, maior produtora de papéis e embalagens do país, anunciou nesta terça-feira (16) que investirá R$ 9,1 bilhões na expansão de sua fábrica na região de Ortigueira, no Paraná. O anúncio foi feito em evento que contou com a participação do governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD).

De acordo com o governador, o aporte irá gerar perto de 11 mil empregos. “Será o maior investimento do setor privado na América Latina”, defendeu, durante o anúncio.

O investimento é recorde no estado, superando o valor empregado na construção da unidade Puma I, também na região de Ortigueira, que somou R$ 8,5 bilhões em 2017. De acordo com a Klabin, o valor será empregado na unidade Puma II, que abrange a construção de duas máquinas de papel, com produção de celulose integrada.

Esse novo maquinário será responsável por produzir 920 mil toneladas de papéis Kraftliner por ano. A construção será dividida em duas etapas, com dois anos de duração cada, a primeira começa em 2021 e a segunda em 2023.

“O investimento bruto orçado para a construção do Projeto Puma II é de R$ 9,1 bilhões, sujeito a flutuações cambiais e reajustes decorrentes de inflação, a ser desembolsado entre os anos de 2019 e 2023. O Projeto será financiado pela posição de caixa da Companhia e a geração de caixa proveniente dos negócios correntes, podendo ser complementado com financiamentos, desde que as condições sejam atrativas em termos de custo e prazo”, diz o comunicado da empresa.

Segundo a Klabin, o investimento deverá beneficiar municípios da região dos Campos Gerais.

“O investimento no Projeto Puma II beneficiará os municípios da região, com a criação de até 9 mil postos de trabalho no período de obras e 1,5 mil, entre diretos e indiretos, após o início de produção. Além disso, haverá impacto positivo em função da geração de impostos e negócios, benfeitorias socioambientais e desenvolvimento da infraestrutura local”, completa o comunicado.

Com a ampliação da fábrica, o governo Ratinho Jr. se diz otimista em relação a melhora da qualidade de vida nos municípios da região. Historicamente, Ortigueira mantinha um dos piores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do estado.

Veja Também  PRF atende acidente com ônibus na BR 277, em Teixeira Soares

“Temos como foco incentivar as empresas que vão para regiões que precisam se desenvolver. Aqui [Ortigueira] tinha IDH baixo, falta de investimento da indústria, o comércio precisava se fortalecer. O projeto Puma já deu uma levantada na região e com esse outro projeto vamos mudar de patamar toda a realidade de Ortigueira e cidades vizinhas”, afirmou.

A expansão, segundo a empresa, se dá por causa do aumento na demanda mundial por papéis para embalagens. A consultoria Pöyry indica que o consumo deste produto em 1990 era de aproximadamente 60 milhões de toneladas e hoje é da ordem de 170 milhões de toneladas.

O crescimento global até 2025 deverá seguir em um patamar de 2,4% ao ano, avalia a mesma consultoria. A atração do investimento foi a vitória em uma dura disputa com outros estados, aponta o Governo do Paraná. De acordo com José Eduardo Bekin, diretor-presidente a Agência de Desenvolvimento do Paraná, as contrapartidas para a empresa estão “definidas dentro do padrão do programa Paraná Competitivo”.

O dirigente não deu detalhes sobre quais seriam os incentivos fiscais, mas a ementa do programa prevê medidas como “dilação de prazos para recolhimento do ICMS, incentivos para melhoria da infraestrutura, comércio exterior, desburocratização e de capacitação profissional”.

Comentar